Pimenta Cambuci – Fonte de Saúde e acredite, com muito sabor!

Pimenta cambuci.jpg

Muita gente torce o nariz para as pimentas, incluindo a pimenta Cambuci. Os motivos vão desde o receio dos alimentos picantes, ao desinteresse por experimentar certos alimentos e, até mesmo nem se ter ideia de como preparar. Isto vale também para alguns outros alimentos, que ficam naquela categoria do “não experimentei e não gostei”. Mas no caso das pimentas vale a pena dar uma olhada nas propriedades e benefícios deste alimento.

As pimentas

Embora sejam vistas com desconfiança pelos que não apreciam sua picância, as pimentas são usadas mundialmente desde os povos antigos que a difundiram e a fizeram se tornar uma das especiarias mais importantes. Os árabes antigos e a medicina ayurvédica sempre a valorizaram. Estudos mostram que além de realçar o sabor dos alimentos, as pimentas também tem várias funções benéficas à saúde. São ricas em cálcio e vitaminas A e C e têm propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. São consideradas cicatrizantes, antidiarréicas e adstrigentes. Não lesam o estômago e ainda combatem parasitas. Não é por acaso que países onde o saneamento básico é deficiente ou quase inexistente, a pimenta é utilizada com destaque na culinária típica, como por exemplo a fantástica Culinária Tailandesa.

A pimenta é um alimento termogênico – aumenta a taxa metabólica do organismo. Excelente para auxiliar na perda de peso.

Basicamente há dois gêneros de pimentas mais conhecidos: Piper e Capsicum. As mais antigas são do gênero Piper, como as pimentas do reino. As do gênero Capsicum compreendem cerca de 30 espécies conhecidas. Citando algumas das mais conhecidas, temos as pimentas: Chilli, Cumari, Jalapeño, Dedo-de-Moça (que desidratada e em flocos é a Calabreza), Biquinho, Malagueta, da Jamaica, Cambuci, Pimentão.

Existe uma escala, criada por Julie Cohn, para classificar o grau de picânca das pimentas. Esta escala varia de 0 a 10. O Pimentão e a pimenta Cambuci, por exemplo, tem índice de picância zero. Já a pimenta Cumari tem índice 8 e a Malagueta, 9.

A pimenta Cambuci

Tem o formato gracioso na forma de campânula ou sino e o sabor agradável que combina o aroma das pimentas ardidas com a doçura de um pimentão. Também conhecida como Chapéu de Bispo ou Frade. A coloração vai do verde (fruto imaturo) ao vermelho (fruto maduro e mais doce). Seu formato é propício e convidativo a prepará-la recheada; as possibilidades são muitas.

A preparação da receita a seguir leva quinoa no recheio e pode ser acompanhamento para carnes, aves ou até mesmo peixes, ou ainda ser o prato principal de uma refeição leve, acompanhada de uma salada de folhas verdes.

Pimenta Cabuci recheada com Quinoa

Ingredientes

12 pimentas Cambuci (verdes e vermelhas)

2 xícaras de quinoa cozida

1 cenoura pequena cortada em cubinhos bem pequenos

2 colheres de sopa de cebola picada

1 dente de alho picadinho

1 colher de sopa de farinha de pão ralada grosseiramente (ou farinha tipo Panco)

2 colheres de sopa de salsa picada

1 colher de sopa de azeite

sal a gosto

Como fazer

– Cortar a parte superior das pimentas (como se estivesse tirando uma tampinha) e retirar as sementes;

– Polvilhar o interior com um pouco de sal e deixar viradas para baixo enquanto prepara o recheio;

– Coloque o azeite em uma panela, adicione a cebola e o alho e refogue um pouco. Acrescente a cenoura, tempere com um pouco de sal e refogue por alguns minutos. Acrescente a quinoa cozida e a farinha de pão. Acrescente a salsinha picada e misture bem. Experimente e se desejar acrescente um pouco mais de sal.

– Receheie as pimentas Cambuci, coloque-as num pirex, regue com azeite e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por uns 35 a 40 minutos.

2 comments

  1. Heloísa Helena Zachello says:

    Bom dia! Boa receita essa. Eu não conhecia a pimenta Cambuci, até a semana passada. Fiz picadinha, temperada com cebola e sal, refogadinha. Ficou uma delícia! Qualquer hora dessas vou testar a receita acima. Deus abençoe o pessoal do blog.

Deixe uma resposta